Akáshica

 

Akáshica: A Dimensão Neutra

A Dimensão Akáshica.


(Tirado do Livro “The Journey of Your Soul”)

autor SHEPHERD HOODWIN  

Editora Summerjoy Press - New York, N.Y. - EUA.


    Grande quantidade de informação está disponível na Dimensão Akáshica (Uma palavra de origem Sanscrita). Aqueles que já estão familiarizado com esta dimensão, tendem a pensar nela como um lugar, como uma espécie de biblioteca dos cosmos. No entanto, os registros akáshicos estão em todos os lugares, é parte do tecido em tudo que existe. Tudo que acontece está registrado lá. Qualquer um de nós pode ter acesso as informações lá gravadas, pelo menos até certo ponto. No entanto, os registros são muito complexos e requer muita prática para desvendar com perícia.

    O núcleo do “Registro Universal”  é o “Plano Akáshico”, a Dimensão Neutra. É o registro completo do universo. Cada Dimensão de Existência tem o seu próprio centro “local” de registro, mas a Dimensão Akáshica interpenetra todas estas dimensões. Por exemplo, o nosso corpo físico tem o nosso registro pessoal, chamado de “subconsciente”  que reside no nosso Centro Instintivo. Ali esta guardado todas as nossas experiências; que no fim da história, serão “destilados” e integrado com a “Central” (Núcleo do Plano Akáshico). As Dimensões “Causal & Mental” são vizinhas da Akasha, portanto têm acesso fácil as informações.

(Nota do autor: Informações sem muito valor para o Universo fica guardada só no nosso subconsciente e não precisa ser transferido para o núcleo central (Plano Akáshico). Exemplo: um tropeção na calçada, pode ser considerado irrelevante para o Universo).

    Alguns Médiuns (ou média) podem ter acesso à superfície da akasha. No entanto, do plano físico não é possível se aprofundar muito. Acessibilidade ao Plano Akáshico não é o ponto principal das nossa lições no plano físico, não fomos “desenhados” para este fim. No entanto, ainda é pertinente este acesso para as nossas lições, daí a grande ajuda dos bons “canalizadores”.  Encorajamos tentativas próprias, mas ajuda de médiuns conceituados pode vir a calhar. Apesar dos sensitivos ter acesso limitado ao Núcleo Central, eles podem ter acesso total aos registros “locais” do plano físico, que ainda não foram “destilados” (como o tropeção na calçada).

    Como mencionei acima, o Centro (neutro) Instintivo é a localização do registro Akáshico individual . Ele interpenetra os outros Centros, obtém todas as informações e experiências, levam de volta para o subconsciente e ali imprime tudo. O Centro Instintivo individual está, por sua vez, conectado com Centros de Registro de escala maior, como o Consciente Coletivo da Humanidade. Por fim, está conectado com o “todo” universal. Portanto quando clareamos o nosso centro instintivo através do auto-conhecimento e cura, estamos contribuindo para o clareza de todo o universo físico. Também, quando a nossa Essência (individual) integra o “nós” desta vida, nossos registros akáshicos se tornam mais acessíveis à nossa Essência Universal, e finalmente, o nosso registro será destilado (só com informações relevantes ao Universo) e incorporado com à Dimensão Akáshica Universal. Estaremos, então,  contribuindo para o conhecimento de todos os Planos de Existências e com Deus. Catedráticos, do papel neutro, dão uma contribuição especial neste processo de destilação. Portanto a  integração simultânea expande em todas as direções no Plano Físico, e em direção aos Planos Astral e Akáshico.

    O Centro Instintivo, e o Registro Akáshico em geral, guardam as memórias do jeito que as experimentamos e as entendemos, irrelevante da “última verdade”. Se as informações nela contidas estiverem bem organizadas e claras, foi porque as experiências foram registradas com clareza, ou foram mais tarde, clarificadas; As informações nem sempre ocorrem assim. Por exemplo, alguns eventos, como vidas traumáticas anteriores, pode ser difícil de obter com clareza, se a confusão original nunca foram resolvidas. Do outro lado, as informações no Diagrama lido por Michael, deixam tudo bem mais claro porquê consiste de escolhas especificas feitas pela Essência do indivíduo.

    Não há destilação nos Registros Akáshicos exceto através da evolução daqueles cuja experiências foram gravadas. Se você teve uma experiência traumática no passado, e você lidou com ela - se você evoluiu a experiência - isto também será incluindo nos Registros. O que finalmente fica no Plano Akáshico, são apenas as destilações - o que foi aprendido - isto é, o que é relevante para o Universo levar para o “futuro”. O resto é apenas isto “resto”. A destilação está sempre acontecendo no nosso processo de crescimento. Acontece conosco como personalidade, essência, entidade, cadre etc..etc.  Quando você re-examina pedaços do passado e a vê com mais claridade e entendimento, você evolve aquela experiência.

    Os Registros Akáshicos aparece para você como um registro literal das coisas  exatamente como aconteceram, e podem ser assistidas,  re-assistidas (como numa tela de cinema)e re-examinadas de todos tipos de ângulos que você quiser; cada pessoa vê eventos de forma diferente, isto é gravado também. Tudo que acontece é minuciosamente gravado, incluindo eventos mais triviais, como a queda de uma folha do gigantesco jequitibá, no alto das montanhas da Serra do Mar.

    No entanto, não é como se uma pilha de fitas VHS estivesse constantemente gravando. A explicação está na natureza do ”Tempo” em si. Os Registros Akáshicos, são na verdade “janelas” para o “passado”. Akasha se posiciona num espaço neutro diretamente acima to “tempo-espaço continuum” e nos permite dar uma espiada em outros tempos sem realmente entrar naquele tempo-espaço - é apenas uma janela - um lugar da onde “assistir” o filme.

    Como existe uma infinidade de coisas energicamente gravadas, tanta coisa pode ser mais do que a gente pode absorver. No entanto, acabamos atraindo para a nossa visão apenas aquilo que é relevante para nós, aquilo que temos alguma razão para rever. Uma paisagem de um lugar importante para você, pode trazer aquele lugar para sua inspeção a não ser que você especificamente peça para ver um outro lugar. E porquê você escolheria um lugar em particular, em vez de milhões de outros? Porquê aquele lugar sintoniza com você.

    No livro de Yabro*, Michael refere ao plano akáshico como um “registro fotográfico”. De fato, todos os Registros Akáshicos podem ser considerados “fotográficas”, ou talvez até “Halográficos” , considerando que eles não são só “visuais” mas multi-dimensional.Quando olhamos para a janela que o registro nos provê, vemos a experiência total.  Podemos até pensar que são “códigos” parecidos com as informações digitais em um disco compacto ou CD-ROM (que são só zeros e uns) em vez de uma língua falada. Portanto, como em fotos e vídeos, quando o filme de um evento passa de novo, há muitas maneiras de interpretar e traduzir em algum idioma. É portanto, importante não considerar qualquer tradução do registro akáshico, como a palavra final.

    Diferente Entidades canalizadas podem dar informações contraditórias, ou pelo menos, parecendo estar em conflitos. Versões das mais variadas, de como o Universo foi criado , histórias da Terra até o que é melhor comer na janta, podem não bater. Para ilustrar melhor, vamos usar o exemplo de um acidente de carro na esquina: Se você perguntar para vinte pedestre que testemunharam, você pode acabar com vinte estórias diferentes sobre o que aconteceu, alem do que você obtém das pessoas dentro dos carros. Jornalistas são treinados em ser objetivos, mas mesmo eles podem dar informações contraditórias. No entanto, depois de ouvir todo mundo, você pode ter uma boa idéia do que aconteceu e aonde estão os pontos em comum.

    Vamos dizer que talvez 50 anos mais tarde, uma entidade não-física está pesquisando aquele acidente, para responder a uma pergunta, durante uma sessão mediúnica. O “filme” das experiências subjetivas de todo mundo está no Registro Akáshico. Na estória de quem deve ele confiar? talvez seja uma boa idéias esta entidade verificar a estória de todos . Mesmo que muitos dos “filmes” podem mostrar os fatos objetivamente,  ainda seriam sujeitos a interpretação, e podem ainda não prover uma descrição correta do que aconteceu. Estas Entidades teriam que usar muito da sua sabedoria e usar um julgamento sábio, baseado em amplo entendimento, para dar uma interpretação correta dos Registros.

    Não existe nenhuma versão da realidade que é a “verdade final e absoluta”, enquanto estivermos aqui na Terra. É verdade que o Tao/Deus é a ultima verdade infalível no Universo. Bem ai é outra conversa. Entidades canalizadas estão em processo de evolução, como nós. E assim como ler livros, trabalhar com professores ou grupos pode ajudar com o nosso crescimento, o mesmo é verdade para eles.  Eles também tem guias, grupos e “livros” não físicos que estão nos Registros, mas Entidades canalizadas, como nós podem não estar lendo os mesmo “livros” . As informação que eles nos dão, pode depender dos “livros” que eles estão lendo. A Verdade mais acurada é a síntese de todos os elementos das verdades, de todos os pontos de vista.

    Os Registro Akáshicos, então, não provê conhecimento instantâneo. Informações tem que ser adquiridas e interpretadas; Isto é uma arte tanto quanto uma ciência.

   




*Chelsea Quinn Yabro - Messages from Michael - More Messages from Michael.

Texto

Existem 7 Dimensões de Existência


    3 Cardeais ou Fluidas :   Mental  -  Messiânico  -  Budáico

    1 Assimilação e Neutra : Akáshica

    3 Ordinais ou Sólidas :    Física  -  AstralCausal