Alma Madura

 

Fernanda

Montenegro

Pelé

Robert  Scheidt

Pope

John Paul II

Presidente

Lula

A Alma Madura*


Focus: Relacionamento.

A madura já passou pela “idade bebe, criança e jovem” - Ja aprendeu lições sobre sobrevivência, estrutura, competição e sucesso! Na “idade criança” ela teve umas experiências com o centro emocional, se bem aos “trancos e barrancos” como falei anteriormente. Agora ela vai aprender sobre o emocional e com afinco.


As lições começam pelos relacionamentos e aprendem pela angustia e também o prazer. Diferente das almas jovens, a madura se torna menos egocêntrica, começa a se interessar pelo bem estar dos outros. Nos primeiros níveis ela aprende o be-a-bá das relações através da família, coleguinhas de escolas, namoricos.


Percepção: Ver os outros com vê a si mesma.

A  alma madura começa a ter um senso de conexão com os outros pela identificação, vendo os outros através de si mesma como se estivesse olhando em um espelho. Esta qualidade dá à alma madura, uma aura de sinceridade que não se vê em outras idades.


A pior ofensa que se pode jogar em cima da madura, é tratá-la de uma maneira que ela nunca te trataria. Exemplo: Se ela gosta de alguém, inicialmente pensa que aquele alguém vai automaticamente gostar dela. Rejeição será um osso duro para roer, especialmente nos primeiros níveis, mas eventualmente ela aprende a lidar com isto também.


Lema: Qualquer lugar menos na minha casa.

Este tipo de atitude leva a pessoa se tornar um pouco apática. Enquanto as coisas só estão acontecendo com os “vizinhos” tudo está bem, não queremos nos “envolver”. Este tipo de lição, no entanto, pode ser a alavanca que promove o crescimento, especialmente...se o vizinho for muito próximo.

A madura começa a pensar em termos de “grupos” e “causas” para reverter a apatia e começar a se envolver. Esta também é a turma que mais se voluntaria nas igrejas ou em outros projetos comunitários. 

Como o nosso planeta está em processo de transição de alma jovem para madura, este é o grupo de alma que mais se sente útil aqui. Elas ensinam muito através do exemplo, e se preocupam com o planeta inteiro.


Centro de Preferência: Emocional.

A vida da alma madura, por escolha (espiritual e não do ego) decide ter vidas difíceis e até a morte é pontilhada por experiências duras...aquela morte lenta, que deixa a pessoa jogada na camada por meses e até anos.


Elas aprendem pela angustia, ansiedade, depressão e o corpo se esmorece. O nível 5 e 6 são os mais duros, uma catástrofe atras da outra, parece não ter alento. Já no nível 7 - o ultimo antes de voltar como alma “velha”, começamos a compreender que as nossas emoções tem que ter uma válvula de expressão - uma saída. Neste ultimo nível podemos ensinar os outros como “lidar” com desafios emocionais.


Quando as emoções não acham esta válvula de escape, elas produzem uma por si mesma...isto é, elas se expressam através do corpo. Exemplo: Uma dor reprimida por muito tempo causa re-sentimento. A palavra ressentir por si só, explica...a gente re-sente ou seja sente de novo aquela dor..anos após anos...comendo a gente por dentro. Esta é a definição do câncer, da ulcera, da gastrite...que literalmente come a gente por dentro.


Eu gosto de explicar para as pessoas que “ofensa aceita é tão tóxica quanto ofensa dada”. Quando a gente é ofendida por outra nos achamos no direito de revidar...e é clara que esta é uma alternativa..só que não tão boa, porque a esta altura já aceitamos a ofensa e o estrago já está feito.


Talvez uma outra alternativa, uma vez que já aceitamos a ofensa e estamos danado da vida, seria dar uns murros em algo que não se importa de ser esmurrado, como o travesseiro. Pelo menos estaríamos usando aquela válvula de escape.


A esta altura do campeonato, o perdão é o nosso melhor dispositivo. Muitas pessoas pensam que o perdão é para o beneficio da outra pessoa. Estão enganadíssimas. O perdão é para o nosso próprio beneficio. Mas o perdão tem que se completo e verdadeiro...não pode ficar só nas palavras...ou só no confessionário. Isto não significa nada. O perdão, quando completo e verdadeiro não deixa cicatrizes mentais ou emocionais. Os modos que eu descobri para fazer isto funcionar, são:

1º - Ver Deus nas pessoas - em vez do ego... todos nós, não importa quão ruim ou desfuncional...temos Ele dentro da gente. não sabemos da história das outras pessoas...é claro que isto não justifica a ação prejudicial delas (ou nossas) mas nos ajuda a perdoar.

2º - Entender que todas as pessoas - sem exceção - são os nossos professores (assim como somos professores deles e delas). Aqui vai um outro osso duro de roer...Estupro...por favor, entenda que eu não estou “validando” esta ação horripilante mas a  gente nunca sabe se tem algum karma envolvido.


Vamos dizer que o estuprador foi estuprado pela vítima em uma vida anterior. (ele era mulher e ela era homem) e quando na vida entre a vida (no plano astral) ele decide nascer como mulher para receber o mesmo tratamento...bem..eu sei... muita gente vai pensar que isto é apenas uma teoria de minha parte...mas foi por isto que Jesus foi bem enfático quando disse para não julgarmos...lembram que não temos toda a história do s dois envolvidos no estupro, para chegarmos a uma conclusão correta.

Isto não significa que não temos que ter uma grande compaixão pela vítima...mas de novo...o perdão é a nossa única arma contra conseqüências psicológicas desastrosas.


Qual seria a “solução ideal?”. Seria... não aceitarmos as ofensas pra começar. Não é fácil e treinos do centro intelectual e emocional são necessários. Quando alguém nos ofende, ele cria uma energia negativa e escura, que se aceitarmos, esta energia se torna “parte” de nós.  Como fazer isto...bem eu pessoalmente, crio um escudo de luz ao meu redor, quando esta energia negativa vem em minha direção, dá de cara com o escudo e volta para a pessoa como num “rebote”. Quem ofendeu  fica com a sua energia negativa 100%... muito obrigado...e nós continuamos numa boa. Funciona todas as vezes. 


Ponto de Vista: Poh! que vida de cachorro...

Bem...realmente é uma vida de cachorro...se você, é claro...  for um cachorro. A escolha é sua. Isto me lembra daquela musica dos anos 50’s..

.
Ninguém me ama..ninguém me quer.. a vida passa e eu sem ninguém...


Bem... ver o mundo como um desastre atras do outro é apenas parte das lições... desastre deixa de ser desastre quando a gente aprende a dita lição e não precisamos repeti-la...de novo... de novo...de novo...


Existe normalmente duas maneiras de aprender lições:


1º - através da experiência... esta é o modo mais difícil mas  mais eficiente. Levamos as experiências com conosco, para o outro lado do véu. Estes tipos de lições ficam bem aprendidas.


2º - Através da observação. Estas são mais fácil porque a gente aprende, observando os outros sem ter que passar pela experiência. Este tipo, não tenho certeza, se levamos com a gente ou não.


Não se esqueçam que a vida é um teatro - somos apenas atores e atrizes. Quando a peça terminar, entregamos o guarda roupa para a atendente, e junto com os nossos “adversários” vamos tomar um drink e planejar a próxima peça (vida).


*Observação: Estou usando bastante o pronome “ela” nesta página, simplesmente porque a alma madura está no feminino, mas o mesmo se aplica a “ele”

 

As 7 “Idades” da Alma


Bebê  -  Criança  -  Jovem  -  Madura  -  Velha

Transcendental  -  Infinita


Os 7 níveis da idade da alma