Mônadas

 

Mônadas


A palavra “mônada”, nos ensinamentos do Michael, tem uma definição diferente da que podemos ver no dicionário. Mônada tem a ver com uma experiência essencial da vida no plano físico. São as relações que vamos ter com nós mesmos (auto-kármicas) ou com outras pessoas (kármicas) como marido e mulher.

Poderíamos dizer que elas são as “classes” exigidas para graduarmos da “Universidade da Vida” no Planeta Terra.

Mônadas podem variar de pessoas para pessoas, e elas podem ser “auto kármica ou apenas kármica ou recíproca”, mas são os cursos básicos como o português e a matemáticas seriam nos colégios.

Abaixo vou dar alguns exemplos adicionais destas relações, mas basta dizer que “Pai/Filho”seria um mônada típico, isto é: em uma vida fazemos o papel de “pai”para uma alma e na próxima faríamos o papel de “filho”, com o intuito de aprender os dois lados da moeda. Para tirar uma nota 100, mônadas tem que ser aprendido dos dois lados.

Armamos os nossos mônadas no plano astral, antes de nascer e durante a fase do planejamento para a próxima encarnação. Vamos dizer que em alguma vida anterior eu fiz o papel de pai para um certo indivíduo, agora eu vou procurar aquela alma para ser o meu pai. No exemplo acima, do pai/filho, vamos dizer que eu fui muito rígido e talvez até violento no processo de criar o meu filho, agora seria importante combinar com o meu ex-filho para ele ser o meu pai e igualmente rígido e violento.

Outro caso que já mencionei anteriormente, mas vale a pena trazer a tona novamente, seria o caso do “estuprador versos estuprada”. Uma das razões que Jesus foi bem claro em nos ensinar a não julgar, é porque nunca teremos todos os dados envolvido na relação entre duas pessoas. Exemplo: Jack o estuprador do século 19: Se ele realmente estuprou várias prostitutas nas vielas de Londres poderia ser porque em uma outra vida anterior ele era ela e foi estuprado por algumas delas que eram eles. Do outro lado, se ele estuprou uma mulher que não o estuprou em uma vida anterior, então ele criou um karma para uma futura vida.

Auto-karma tem a ver com energia desequilibrada que afeta a pessoa mas não outras. Exemplo: Ter preconceito contra pessoas negras mas nunca agir no seu preconceito. No pior das hipóteses, ele vive fazendo piadas sobre os negros. Neste caso, em uma outra vida ele pode decidir nascer negro para ‘sentir na pele’ este preconceito.


Exemplos de Mônadas de natureza kármica:


  1. Pai/Mãe

  2. Filho/Filha.

  3. Irmão/Irmã.

  4. Condicionador/Condicionado.

  5. Amante/Amado.

  6. Independente/Dependente.

  7. Meticuloso/Descuidado.

  8. Passivo/Agressivo.

  9. Treinador/Aprendiz.

  10. Professor/Aluno.

  11. Desertor/Abandonado.

  12. Estuprador/Estuprada.

  13. Homem/Mulher.

  14. Heterossexual/Homossexual.

  15. Raças: Brancas/Asiáticas/Negras.

  16. Dominação/Submissão.

  17. Amigo/Inimigo

  18. Assassino/Assassinado.

  19. Ladrão/Vítima.

  20. Supervisor/Supervisionado.

  21. Patrão/Empregado.

  22. LíderSubalterno.

  23. Agressor/Agredido - etc., etc.


Exemplos de Mônadas de natureza auto-kármica:


  1. Branco/Negro/Asiático.

  2. Gordo/Magro.

  3. Alto/Baixo.

  4. Bonito/Feio.

  5. Anglo/Latino.

  6. Inteligente/Burro.

  7. Saudável/Doentio.

  8. Visão/Cego

  9. Altruísta/Egoísta.

  10. Religioso/Ateu - etc., etc.


Cordão


Ligado ao assunto dos Mônadas, está o conceito do “Cordão”. Cordão é uma conexão psíquica entre duas pessoas ou almas. Este Cordão psíquico foi criado primariamente para que os pais ficassem conectados com os seus filhos (como no cordão umbilical).

Ele permite os pais  prover energia adicional para as crianças e jovens como um suplemento até que elas consigam ficar energicamente independente. O cordão também permite que os pais fiquem ciente intuitivamente com o que esta acontecendo com os filhos. Adultos podem esvaziar as baterias das crianças bem mais rápido, porque as baterias deles são bem maior, mas os filhos super ativos podem também esvaziar as dos velhos como qualquer pai ou mãe pode atestar.

No entanto, para um adulto acabar com a energia de um outro adulto é mais difícil mas possível. Quando dois adultos tem um confronto, o resultado vai ser que o primeiro ganha e o segundo perde, vice versa ou os dois empatam. Isto se chama: Drama do Controle (veja página sobre as “Profecias Celestinas”- para melhores detalhes sobre este tipo de drama.

 

Voltando ao cordão...


No nível da Essência este cordão é permanente e sempre positivo. Acontece por exemplo entre duas almas gêmeas que ficarão conectadas durante todo  o grande ciclo.

O Cordão da qual Michael se refere aqui, tem a ver com conexões temporárias, de espécie kármica (se negativa) que pode ser “removida” através do perdão ou da resolução do problema que os ligou para começar. Existe cordões positivos também, como o amor, simpatia ou admiração que nos liga as outras pessoas.

Apesar dos cordões não terem sido criados com o intuito de dois adultos serem energicamente dependente um do outro,  esta dependência é comum. Criamos cordões com os outros e eles criam com a gente. Cordões tem um polo positivo ou negativo, como mencionei acima.

Este cordão parece um pouco com aquele de cor prata que liga a nossa alma ao nosso corpo, mas tem uma natureza diferente e pode ser “visto ou sentido” pelas pessoas de uma percepção mais afiada. Exemplo de um cordão de natureza positiva seria o amor que liga uma mãe com um filho, amigos sinceros, especialmente aquela pessoa por quem sentimos um amor incondicional. Amor incondicional é exatamente o que diz... não impomos condições..não exigimos que a outra pessoa nos ame de volta ou seja fiel com a gente. Exemplo seria o amor de Deus por nós..


O cordão de natureza negativa tem a ver com o amor condicional, que é muito comum entre os seres humanos no momento. O amor condicional pode virar em questão de segundos. Exemplo: Exigir ‘fidelidade’ da pessoa amada. No momento que descobrimos que esta  pessoa nos “traiu”,  este “amor” pode gerar vingança, ódio ou ataque de um segundo para outro (comum em novelas brasileiras).

O ódio constrói um cordão tão forte, que se não for resolvido aqui no planeta, causaria o nosso encontro automático com a pessoa odiada, assim que passarem  para o outro lado. O mesmo é verdade com o amor incondicional. A força magnética dos dois é incrível.

No caso do ódio ou raiva, o melhor exercício seria visualizar aquele cordão que une as duas pessoas e imaginar uma tesoura bem afiada, e “cortar o cordão” na sua base. Assim que a conexão for cortada, o próximo passo seria a escolha de abençoar e deixar a pessoa seguir a sua vida. É irrelevante se a outra pessoa perdoa a gente ou não. O problema seria dele, o importante é a gente fazer a nossa parte.

Este processo de perdoar tem um relevância muito grande no nosso estado de saúde mental, emocional e física. O sábio age imediatamente  neste processo de cortar o cordão negativo,  abençoar e desejar que o Universo (Deus) guie e protege aquela pessoa. Devemos exercer o amor incondicional, e desejar  saúde perfeita, prosperidade,  abundância e perfeita auto-expressão à aquela pessoa a quem anteriormente desejamos o mal. O grande “ganhador” nesta história seria nós mesmo, porque só assim estabeleceremos paz e harmonia na nossa própria vida.


  1. *Os ensinamentos sobre o “drama de controle” foi tirado do livro  de James Redfield. Autorização para transcrever foi solicitada.

  2. *Para mais informação sobre este assunto, sugiro ler o livro “Profecias Celestinas de James Redfield - disponível em Português.

  3. *James Redfield: http://www.celestinevision.com/


**Significado de Estóico:

Relativo ao estoicismo; adepto dessa filosofia. / Fig. Diz-se de um indivíduo firme, senhor de si mesmo; inabalável, impassível, austero: ter um comportamento estóico na desgraça