Alma Velha

 

Sônia Braga

Madre Teresa

Sanaya Roman

Nelson Mandela

Dalai Lama

A Alma Velha

Focos: Cooperação & Integração

Nos dois primeiros níveis a gente ainda não temos muita visão da festa de formatura...mas os preparos começam muito devagar porque a gente ainda está vivendo parte do tempo como alma madura.

Parece uma doidura...sabemos muito bem que aquela idade foi de arrasar.  Tudo que temos que fazer é assistir uma novela para relembrar como a gente era. A luz no fim do túnel mais parece uma lamparina com pavio curto.


“Aposentadoria” começa a criar um paladar doce na nossa boca. Relaxar se torna uma grande possibilidade, se bem que a idéia ainda deixa a gente um pouco inseguro. Será mesmo ?

Uma vez que entramos no 3º nível, não resta duvida...”É isto mesmo que eu quero” - O rosto de uma alma velha reflete a paz. É um pouco como olhar nos olhos de um velhinho que já não tem mais ilusões mas ainda não está pronto para fazer a transição.  Um rosto feliz, não se excita atoa ...não muito ambicioso mas consistente e perseverante.


Sempre pronto, no entanto, para dar uma mãozinha aos mais jovens que são esperto o suficiente para pedir conselhos. É a idade para integrar tudo o que aprendeu deste o 1º nível bebê até agora. Isto pode integrar mais de 150 vidas. *Confucio, que na verdade é uma alma transcendental, seria o tipo mais bem representativo desta idade - velhinho, sábio, inteligente e sempre pronto com um ditado.


Percepção: Somos todos parte de um grande Plano.


O reflexo desta idade é quando percebemos que “Somos todos Um” - Um com a natureza, Um com a prostituta, um com Madre Teresa, Um com o bêbado do botequim, Um com aquele pilantra do vizinho, Um com Albert Einstein. Bem, de preferência, certas pessoas a gente não quer ser “Um” com eles...é... mas a dura realidade é que somos. Isto aí começamos a entender nesta fazer de integração e cooperação. “Fazer o bem e não olhar a quem”  é o que a minha mãe vivia nos dizendo.


Prioridade se torna ensinar e ficar na nossa” - não ficar oferecendo conselho a quem não pediu - não ficar dando opiniões - entender que um dos nossos maiores “inimigos” é a auto-importância (arrogância), e que o apego de todos os tipos resulta em sofrimento (outro osso duro para roer: até o apego as pessoas que amamos - qualquer pessoa que já perdeu um ente querido, entenderia isto mas não necessariamente aceitaria como verdade. 


Daí o nosso Lema:  Viva e deixa Viver.


É um avanço na idade madura, cujo lema era.. “Qualquer lugar menos na minha casa”. Aqui aprendemos,  deveras a viver com a diversidade, de nos separarmos da intensidade da vida madura.


Vemos sabedoria até na “mulher da vida ou no dito bêbado do botequim”. Paramos de julgar, porque em alguma vida já fomos a tal da  mulher da vida ou o bêbado.


Pagar todos os karmas se torna urgente - não só os que “devemos” para os outros como os karmas internos - que devemos a nós mesmo. Ja passamos por todos os Mônadas.


Centro de Preferência: Melhor acesso à todos os centros.


Do 4º nível em diante começamos a internalizar as lições aprendidas e equilibrar os nossos três centros (Intelectual, Emocional e Energético). Aliás, uma vida de harmonia só vai ser possível quando aprendermos a usar os três centros simultaneamente.


Vale a pena repetir que agora temos apenas o  auto-karma para limpar. Consolidamos todas a experiências da vida. Ensinamos   tudo que aprendemos à pelo menos uma pessoa. Pronto para deixar o Planeta mas precisamos ter pelo menos um discípulo para ensinar o máximo de tudo que aprendemos.



*Confucio: http://www.pensador.info/frases_curtas_confucio/

Confucio

 

As 7 “Idades” da Alma


Bebê  -  Criança  -  Jovem  -  Madura  -  Velha

Transcendental  -  Infinita


Os 7 níveis da idade da alma